empreendedorismo corporativo

Dicas para empreender com sucesso

Escuto frequentemente histórias de pessoas com bons produtos e com dificuldades em fazer crescer o seu negócio, ou pessoas que tem algum dinheiro e não tem ideia de um negócio no qual investir.

Primeiramente não se sinta mal. Eu sou professor dos MBAs da Fundação Getulio Vargas e vejo alunos bem preparados com dificuldades parecidas em grandes empresas ou em negócios de diferentes portes atuando em diferentes segmentos de negócio. Também atuo como consultor e já atendi diversas startups com as mesmas dificuldades.

Não é fácil levantar um negócio do zero ou fazer escalar, mas pode ser recompensador se você tiver o perfil certo e os recursos necessários.

Criar ou produzir um produto ou serviço é só uma pequena parte do que é empreender. Antes de pedir demissão e se aventurar no mundo do empreendedorismo corporativo, veja se você respondeu a todas as perguntas a seguir.

Vamos primeiro ao perfil do empreendedor. Não pense em empreender para ficar livre do seu chefe. Empreender é pensar no negócio 24 horas por dia, 7 dias por semana. Não há férias, nem 13º, nem certeza de sucesso. O seu chefe agora será o seu cliente e você vai ficar feliz de ter quanto mais chefes puder.

A principal característica do empreendedor é a resiliência. Seja honesto com você mesmo. Você desanima com facilidade? Quando as coisas ficam difíceis você pensa logo em desistir? Talvez empreender não seja para você. Ou você vai viver estressado(a) com os altos e baixos naturais de qualquer negócio principalmente na fase inicial.

Agora vamos às áreas de atuação, mercados e aos produtos ou serviços que você pretende oferecer.

Procure empreender em uma área de negócio que você conheça e goste. Já é difícil o bastante empreender, imagine em uma área que você não conheça.

Encontre um Gap

Se você conhece bem a sua área vai ficar mais fácil você encontrar um gap no mercado. Um gap é um espaço. Algo que o mercado, um grupo de consumidores, apreciaria mas não tem disponível no mercado. As vezes uma funcionalidades de um produto que não está presente, um serviço que as pessoas gostariam de ter, um produto que não exista ou mesmo que já exista mas que seja um mercado pouco explorado…

Pergunta 1: Você tem certeza que o público realmente quer e valoriza essa oferta e está disposto a pagar por ela?

Pesquise. Faça um grupo de foco. Não adianta muito perguntar para os amigos. Eles muitas vezes vão te incentivar mas vão distorcer a importância real da ideia.

Pergunta 2: você tem como satisfazer essa demanda?

Pense na complexidade da produção, no custo do produto e no preço potencial de venda. Pesquise novamente se o público estaria disposto a pagar por isso. Muitas vezes o mercado está disposto a pagar mais do que você pensava.

Em resumo, há que existir mercado suficiente para sustentar as suas vendas (e o seu negócio) e portanto, os consumidores têm que estar dispostos a pagar o preço justo. Muitos negócios falham por não estimar corretamente o tamanho do mercado e o interesse dos consumidores.

Diferencial

Com tantos produtos e serviços disponíveis é fundamental que a sua oferta tenha um diferencial. O seu produto pode ter uma funcionalidade que os outros não tenham, pode ter um design diferenciado, um preço mais atraente, estar disponível em diversos pontos de venda etcetera. Observe entretanto que diferencial não é o que você acha mas o que o consumidor valoriza e acha que o seu produto ou serviço oferece. Ou seja, valor percebido.

Branding X Marketing

Branding trata de quem você é e Marketing trata de gerar demanda, levar o seu produto ao mercado. Desse modo, Branding deve vir antes.

Marcas se sucesso definem a sua estratégia de Branding antes de começar e reveem essa estratégia de tempos em tempos.

Uma estratégia de Branding deve estabelecer o propósito da marca, a missão, visão, valores, a quem a marca serve, definição de personas, a imagem percebida desejada (posicionamento), etcetera. A partir dessas definições pode-se então definir o Nome, Logo, identidade visual etcetera.

Mesmo que você não tenha recursos para contratar uma empresa que possa ajudar nessa importante etapa, estude o assunto. Isso impactará no futuro em seu custo de venda, valor da empresa, ROI etcetera.

Uma marca que passa credibilidade, que transmite segurança ao consumidor, converte mais vendas, especialmente no e-commerce.

O poder no Nome e da Marca

Não subestime o poder do nome do produto e da marca (logotipo e identidade visual). Em se tratando de produtos, a embalagem tem uma importância enorme. Nome, Logo, embalagens, website são os primeiros pontos de contato entre o consumidor e a sua empresa e merecem uma atenção especial.

Marketing

Ter um bom produto ou serviço infelizmente não basta. Você precisa construir uma estratégia de divulgação.

Isso pode ser dar por meio das midias sociais, artigos, boca-a-boca, influenciadores e mídia paga.

Em relação às mídias pagas, há as mídias tradicionais, Radio, TV, Jornais, Revistas, Outdoors. Em geral, costumam ser mais eficientes para anunciantes de atuação em diversos mercados e com verbas mais generosas.

As midias online tem despontado como as preferidas para empresas de todos os portes quando se trata de audiência qualificada pois oferecem a possibilidade de segmentação detalhada e precisa. É possível atingir somente o perfil que se deseja e pagar somente pelos consumidores que interessam a marca.

Recursos Financeiros e Pessoas

Antes de iniciar o seu empreendimento você precisa se planejar financeiramente.

Analise todos os recursos que você irá necessitar. Liste todos os custos por meio de uma planilha. Você vai necessitar de equipamentos? Quantas pessoas você irá precisar? Estabeleça as fases do negócio para saber quando precisará escalar a produção, contratar pessoas, comprar mais equipamentos.

Planeje também a sua entrada de caixa e cuidado para não ser otimista demais. Ao planejar um negócio novo devemos ser pessimistas com a entrada de caixa e imaginar sempre que os gastos serão muito maiores que o previsto.

Se você opera com e-commerce, provisione uma verba para marketing. Hoje os negócios online tem sócios ocultos, além do Governo é claro. Estamos falando do Google, Facebook/Instagram (agora Meta), LinkedIn etc…

Uma mensagem otimista

A maioria dos negócios falha e isso é fato. Onde está o otimismo? 🙂

A maioria dos negócios falha por falta de planejamento dos sócios e isso só depende do empreendedor. Nos últimos anos a taxa de fracasso vem caindo pois os empreendedores vêm se preparando melhor. Invista em conhecimento. Estude o mercado. Procure estudos setoriais da área que você deseja atuar ou de áreas correlatas. Instituições como SEBRAE entre outras oferecem estudos de diversas áreas.

Se você tem o desejo de empreender, o perfil adequado e se preparou, as chances de sucesso se multiplicam exponencialmente.

sobre o autor

Marcos G. Figueira, PhD., MSc. e MBA

Sócio da Wyse e professor da Fundação Getúlio Vargas desde 2012 em cursos de MBA por todo o País.

O artigo é resultado de observações e experiências empíricas ao longo de 25 anos de prática profissional e baseadas em pesquisas e publicações em Journals acadêmicos de alto impacto, sempre Qualis 1 ou 2.

Em referências acadêmicas/bibliográficas por favor utilize: Figueira, Marcos G.

Link para esse artigo e melhore o seu SEO

Para melhorar o SEO do seu website é importante ter também links externos. Fique à vontade para referenciar e linkar para este artigo.