produção de conteúdo

10 dicas para a criação de produção de conteúdo online, ou webwriting

A produção de conteúdo para o ambiente digital se caracteriza, essencialmente, por um conjunto de técnicas para redigir e criar conteúdos com foco em engajamento do usuário/leitor.

Entre as diversas estratégias de marketing digital, a produção de conteúdo vem ganhando destaque. Principalmente com a popularização do inbound marketing e com a importância crescente do tráfego proveniente de mecanismos de busca (Google), torna-se fundamental uma metodologia capaz de nortear a criação de conteúdo com o objetivo de indexação orgânica (gratuita), também conhecida como SEO ou Search Engine Optimization.

Ao se planejar um web site, portal ou blog, uma das primeiras preocupações é determinar para quais buscas se deseja que cada página do site seja exibida.

Desse modo, deve-se escolher uma palavra-chave ou um termo principal para cada página, de acordo com o que cada uma oferece, e com o público alvo daquela página específica em mente.

Além disso, estude o volume de buscas destes termos no Google Insights for Search, ou outra ferramenta de estimativa de tráfego, como o Ubersuggest. Após escolhidas as palavras-chave de cada página, é hora de construir o texto, pensando sempre em três elementos principais:

Hierarquia (camadas)

Procure montar o seu texto de forma que as informações mais importantes estejam no topo. Crie novas camadas, com subtítulos, caixas de texto, e até subpáginas para facilitar ao usuário encontrar as informações que procura.

Relevância

A relevância indica a quantidade de vezes que a palavra-chave aparece no texto com relação ao todo. O ideal é que ela seja cerca de 7% do texto, mas isso não é uma regra. Procure construir long tails diferentes ao repetí-las no texto. Nem sempre os usuários vão pesquisar exatamente a sua palavra-chave, por isso quando você a usa associada a outros termos comuns nas buscas, pode ganhar relevância para esses resultados.

Proeminência

Além da quantidade de vezes que a sua palavra-chave aparece, a posição dela também mostra ao buscador sua importância para a página. Procure usar sempre no título, e logo no começo do texto. Por exemplo, se sua palavra-chave for bicicletas, ao invés de escrever o título desta forma:

Aqui você encontra tudo sobre automóveis.

Você deve trazer a palavra-chave para o início da frase, por exemplo:

Automóveis: você encontra tudo aqui.

Confira, a seguir, algumas dicas importantes para a produção de conteúdo.

1. O Google promove cerca de 3.000 alterações em seu algoritmo a cada ano. Em média, mais de 10 alterações por dia! Tais alterações irão impactar em como os sites e páginas serão “rankeados” e exibidos em nos resultados. Uma dos fatores de maior impacto no algoritmo do Google refere-se a sua preferência por conteúdo recente. Se você não publica com frequência, aí está uma razão para começar o quanto antes.

2. Identifique uma única palavra-chave, ou termo de pesquisa, que irá nortear todo o texto. Conforme mencionado anteriormente, tal palavra é a palavra que se espera que um visitante digite no mecanismo de busca e que, como resultado, se gostaria que a página fosse listada.

3. A palavra-chave deve estar presente no título (H1) e preferencialmente no primeiro sub-título (H2 ou H3).

4. Sempre que possível, inclua sub-títulos, distribuídos ao longo do texto, que contenham a palavra-chave ou mesmo variantes dessa e seus sinônimos. Isso ajuda a indexar para quando alguém digita termos parecidos no Google.

5. Logo na primeira linha do texto, a palavra-chave escolhida tem que aparecer. Quanto mais ao início, melhor.

6. Não exagere na repetição da palavra-chave ao longo do texto. Exageros são penalizados pelos mecanismos de busca. Existe até um termo para isso: over-optimization. Concentre-se em escrever um texto que faça sentido e agradável de ler.

7. Textos muito curtos não têm quase nenhuma relevância. Um texto deve conter, no mínimo, 300 palavras. Ainda assim, sabe-se que conforme as pessoas vêm escrevendo textos maiores com foco em otimização, é melhor aumentar esse texto. 🙂 Empiricamente se nota que o Google tem mostrado preferência por textos que contemplam mais de 1.000 palavras!

8. Links externos são bem vistos pelos mecanismos de busca. Se possível inclua de 1 a 3 links como referência. Esses links são também utilizados para contextualizar o assunto abordado, portanto, não é uma má idéia oferecer links para entidades de classe, tutoriais sobre o assunto, artigos acadêmicos, notícias etc.

9. Links internos para assuntos relacionados também são bem vistos pelos mecanismo de busca e ajudam a indexar outras páginas do seu website.

O Google analisa o conjunto de páginas na indexação. Um site que possua diversos posts sobre culinária, por exemplo, terá cada uma de suas páginas mais “bem vistas” pelo Google que um outro site que publica posts sobre diversos assuntos e, eventualmente, algo sobre culinária. Especialize-se!

10. Um aspecto técnico mas também importante, refere-se à URL (endereço) da página. Inclua a palavra-chave no nome do arquivo ou página (ex.: palavrachave.html) e ainda nos nomes dos arquivos de imagens, nas descrições das imagens (alt tags), legendas de fotos, videos, etc. Aliás, saiba que a partir de 2020 o Google aumentou a nota de páginas que incluem videos. Por via das dúvidas, hospede seus videos no Youtube! 😉

sobre o autor

Marcos G. Figueira, PhD., MSc. e MBA

Sócio da Wyse e professor da Fundação Getúlio Vargas desde 2012 em cursos de MBA por todo o País.

O artigo é resultado de observações e experiências empíricas ao longo de 25 anos de prática profissional e baseadas em pesquisas e publicações em Journals acadêmicos de alto impacto, sempre Qualis 1 ou 2.

Em referências acadêmicas/bibliográficas por favor utilize: Figueira, Marcos G.

Link para esse artigo e melhore o seu SEO

Para melhorar o SEO do seu website é importante ter também links externos. Fique à vontade para referenciar e linkar para este artigo.